quinta-feira, 14 de setembro de 2017

VEREADORES DE CAMETÁ SE POSICIONA CONTRA PROJETO DE JATENE (SEI)



Historicamente o Poder Público Estadual trata Cametá com desprezo e desrespeito. O presidente da Câmara Municipal de Cametá, Juniel dos santos (PR) juntamente com a maioria dos vereadores do município se posicionou contra o Governo do Estado e contra o Sistema de Educação Interativa (SEI), que visa trocar professores por televisão nas vilas e ilhas de Cametá. O prefeito Waldoli Valente (DEM) já assinou o convenio para adquirir o recurso, o projeto entrará em vigo ano que vem.  Somente Cametá no Baixo Tocantins assinou este documento que irá prejudicar milhares de alunos no município. Os prefeitos de Oeiras do Pará, Limoeiro do Ajuru, Baião e Mocajuba se recusaram a assinar o convenio milionário, dizem que televisão não resolverá problema que é de responsabilidade do governo.

A proposta do Governador é implantar vídeo aulas via satélite a distancia para os alunos do SOME nas diversas localidades de Cametá. O convenio se trata de um empréstimo milionário junto ao BIRD, as aulas serão transmitidas de um Studio na capital que irá formar os alunos que estão distantes da realidade do centro urbano.
O presidente da Câmara de Cametá que foi aluno do SOME na localidade de Cacoal, afirma que esse modelo é uma falta de respeito às comunidades ribeirinha, ele diz que a Câmara não foi consultada sobre o convenio assinado pelo prefeito e que se depender dele e de outros vereadores, vão lutar junto com os professores e alunos de Cametá. O SEI é um retrocesso na educação cametaense.


O representante dos professores denuncia que o Sistema Modular é uma importante política pública educacional (Lei 7806/14) ao atendimento das oportunidades das comunidades ribeirinhas, do campo, florestas, quilombolas e indígenas. Mas que o atual governo do e demais aliados, deixará milhares de estudantes sem o direito constitucional de estudar nas diversas localidades onde residem, não bastasse negar as matrículas para os alunos dos primeiros anos da educação básica no SOME já no início de 2018, lançando edital para compra de equipamentos e edital para seleção interna de professores e professoras com objetivo de implementar o Sistema de Educação Interativo/SEI (Tele aula) copiado do estado do Amazonas, quando o professor será substituído por uma simples televisão, causando um significativo retrocesso na Educação do Campo do estado do Pará e desrespeito aos direitos dos estudantes e professores, já garantidos em lei, sem contar quem vai garantir que essas televisões e aparelhos não sejam furtados, pois até lâmpadas roubam das escolas afirma o professor Vinicius (SINTEPP).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Miner

ASSOCIADA AO AÇAÍ, DOENÇAS DE CHAGAS AVANÇA NO BAIXO TOCANTINS

O Pará concentra metade dos registros de doença de chagas no Brasil; No Baixo Tocantins cidades como Limoeiro do Ajuru, Cametá e Oeira...