domingo, 29 de maio de 2016

Medo: Cidadãos cametaenses estão trancados dentro das próprias residências


Há 30 anos,  a aposentada Maria Teles, 87, foi morar em Cametá,  o ato de se sentar em frente de casa era uma rotina. Nos fins de tarde, ela reunia as vizinhas para conversar e se distrair. Hoje, o “tempo bom” ficou no passado. “Aqui na Nova Cametá só Deus na causa” conta do Maria.

Agora, é assalto com frequência. Os cidadãos cametaenses estão trancados dentro das próprias residências”, reclama seu Gito. Ele lembra que, no ano passado, a sua filha, de 20 anos, foi roubada na rua onde mora duas vezes, em apenas 15 dias. Pela primeira vez denunciou o assaltante, o mesmo foi preso mas, no outro dia estava aqui na rua novamente, pela segunda deixei pra lá, melhor é pagar R$ 2 reais para os malandros quando passo que ir reclamar. “Está muito difícil de viver sem segurança em Cametá”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Miner

ASSOCIADA AO AÇAÍ, DOENÇAS DE CHAGAS AVANÇA NO BAIXO TOCANTINS

O Pará concentra metade dos registros de doença de chagas no Brasil; No Baixo Tocantins cidades como Limoeiro do Ajuru, Cametá e Oeira...