Pular para o conteúdo principal

Exército brasileiro possui munição para uma hora de guerra



Exército brasileiro

Segundo a reportagem da Revista Exame, revista nacionalmente conceituada em pesquisa diz que o Exército brasileiro usa o mesmo fuzil de produção nacional há 45 anos, seus equipamentos de comunicação estão obsoletos e dispõe de munição para uma hora de guerra, segundo fontes militares, citadas nesta segunda-feira pela imprensa.
Cerca de 92% dos meios de comunicação dos militares estão obsoletos e 87% dos equipamentos estão completamente inutilizáveis, de acordo com a versão oferecida pelo portal G1 baseado em documentos e depoimentos de militares na reserva.
Os fuzis utilizados pelo Exército são do modelo FAL, que a empresa brasileira Imbel fabrica há 45 anos, e mais de 120 mil unidades têm mais de 30 anos de uso.

"Posso afirmar que possuímos munição para menos de uma hora de combate", disse o general na reserva Maynard Marques de Santa Rosa, ex-secretário de Política, Estratégia e Assuntos Internacionais do Ministério da Defesa.
Santa Rosa deixou o Exército em fevereiro de 2010 após qualificar a Comissão da Verdade, que investiga crimes durante a ditadura militar brasileira, de "comissão da calúnia".
O general Carlos Alberto Pinto Silva, ex-chefe do Comando de Operações Terrestres (Coter), acrescentou que a quantidade de munição "sempre foi mínima".
"Nossa artilharia, carros de combate e grande parte do armamento foram comprados nas décadas de 70 e 80. Existe a ideia errônea que não há ameaça, mas se ela surgisse não daria tempo de reagir", acrescentou.
Até agora, o Ministério da Defesa não se pronunciou sobre o relatório. Nos últimos 10 anos, o Brasil investiu em Defesa 1,5% do PIB, segundo dados do Ministério.
Este ano, o Exército receberá R$ 28 bilhões, dos quais 90% são destinados a salários.
Fonte: http://exame.abril.com.br/brasil/noticias

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sem Merenda Escolar, aluno desmaia de fome a 5 km de casa em Cametá.

Cerca de 50 crianças percorrem o trajeto das colônias do distrito da Vila do Carmo, todo dia, até a escola de Ponta de Terra; muitos saem de casa às 6h para poderem chegar depois de 1h de caminhada a escola, devido à falta de transporte escolar na região. Pais de alunos dizem que não há merenda desde o Junho do ano de 2017, antes só se ofereciam biscoitos devido não haver cozinha na escola que é improvisada, as salas funcionam dentro das dependências da Igreja Assembleia de Deus, a comunidade reclama do abandono e diz que seus filhos entram 7:30h e saem 9h devido a falta de merenda escolar. “Já pediram para nós R$ 5 todo mês como se fosse uma mensalidade, e já até nos disseram que temos que ter responsabilidades de mandar nossos filhos com merenda pra escola, mas como posso mandar se não temos pra comer, na época da farinha, mando mingau de farinha para meus filhos, gostaria que o secretario de educação viesse ver nossa escola” diz uma mãe de uma aluna que não gostaria que seu nome não…

MOCAJUBA DESISTE DE FAZER CARNAVAL PARA INVESTIR EM EDUCAÇÃO

Município diz que não tem condições de fazer o Carnaval, é preferível investir em Educação. Contenção de despesas é para honrar compromissos.


A Prefeita de Mocajuba desistiu de fazer o Carnaval 2018. A decisão foi tomada tendo em vista a situação financeira do município, segundo informações a prefeita Fátima (PMDB) a folia custaria mais de R$ 250 mil para os cofres públicos, a cidade vizinha de Cametá tem outros objetivos que é Saúde e Educação para seus habitantes.
Outra situação é que Mocajuba não tem segurança publica para promover um evento como o carnaval, já que não tem nem para os moradores, outro importuno é que a cidade não possui mais banco, como os turistas gastariam o dinheiro na cidade? O comercio da cidade sofre com falta de dinheiro circulando,  pois o banco mais próximo fica em Baião ou em Cametá.

SAIU PESQUISA DE BELÉM PARA GOVERNADOR NO PARÁ 2018.

O ministro Helder Barbalho (PMDB) mantém sua liderança na pesquisa para Governador em todos os cenários eleitorais no Estado do Pará, mas sua rejeição 29% preocupa. Úrsula Vidal (PSOL) e Mário Couto (PP) crescem.
A pesquisa foi realizada em todos os bairros da grande Belém, como também em Icoaraci, Mosqueiro e Outeiro. Belém é o maior colégio eleitoral do estado, com mais de 1 Milhão de eleitores. A pesquisa consultou 600 pessoas e 41% dos entrevistados dizem que o maior problema do estado é a falta de Segurança. Na sondagem de votos estimulado para governador, Helder soma 38%, Úrsula Vidal 11%, Mário Couto (PP) e Paulo Rocha (PT) empatado tecnicamente com 8% e o candidato do governador Marcio Miranda (DEM) com 2,2%.


É grande também a rejeição de Helder Barbalho que chega a 29%, em segundo lugar vem do petista Paulo Rocha com 19%.
Para o professor de filosofia politica Pedro Chaves, Úrsula Vidal deveria ter ficado no REDE de Marina Silva, sua ida para o PSOL foi um tiro no pé, muitos ele…